Precisamos falar sobre o suicídio

Se gostou do artigo compartilhe!

Precisamos falar sobre o suicídio

Com o mês de setembro as portas, a temática sobre o suicídio começa a pipocar nos portais e redes socias, mais 804 mil pessoas por ano tiram as suas vidas pelos mais diversos motivos, só o Brasil é responsável por mais de 12 mil mortes por ano, os números são alarmantes, afinal, porque tantas pessoas decidem dar cabo de suas vidas?

Depoimentos de muitas pessoas que já tentaram o suicídio, atestam que existe uma dor muito grande, um sentimento autodestrutivo que muitas vezes é incontrolável, independentemente da posição social da pessoa e o seu grau de instrução.

As questões existências ainda são oceanos quase que inexplorados, afinal, vocês já devem conhecer o velho enredo de uma pessoa que aparentava ser feliz, tinha uma vida maravilhosa, marido, esposa, filhos, um bom emprego, e de repente, tirou a vida…

Também não podemos esquecer da trajetória quase que silenciosa de pessoas depressivas, que passam grande parte de suas vidas na cama, sofrendo de uma dor que não conseguem mensurar, que apenas desejam a morte como uma única alternativa para a suas sofreguidões.

Procurem mais informações sobre a psicoterapia comportamental cognitiva e a terapia comportamental dialética, particularmente eu recomendo que procurem um especialista nas duas áreas, facilita o processo, além disso, as técnicas combinadas podem ajudar pessoas com pensamentos de suicídio a reconhecerem padrões insalubres de pensamento e comportamento. A medicação pode ser utilizada, se necessário, para tratar a depressão e a ansiedade subjacentes e pode reduzir o risco de uma pessoa se machucar. Dependendo do diagnóstico de saúde mental da pessoa, outros medicamentos podem ser usados ​​para aliviar os sintomas.

Se for o caso de alguns dos nossos queridos leitores, observem os seus padrões de comportamento, quantas vezes no dia passa pelas suas cabeças a vontade do autoflagelo e o pensamento suicida? Aumento do consumo de álcool, drogas, comportamento agressivo, antissocial, afastamento de amigos, familiares, mudanças de humor drásticas, comportamento impulsivo ou imprudente?

A depressão já é a doença mais incapacitante do nosso século, em muitos casos, leva a pessoa ao suicídio, fiquem sempre atentos com qualquer mudança de comportamento em seus entes queridos, principalmente se forem menores de idade, não demorem em encontrar ajuda terapêutica, evitem o uso de drogas e outros psicotrópicos capazes de alterar o estado mental das pessoas, os sentimentos suicidas já são por si só, traumáticos, não encarem sozinhos esse fardo, caso queiram tirar as suas vidas.

Se nesse exato momento a dor que sentem é muito grande, tentem conversar a respeito com um amigo ou parente próximo, ou ligue para o centro de valorização da vida no 141, mantenha-se relaxado e evite os padrões negativos no pensamento.

 

Concluindo o nosso bate-papo

Se você enfrenta as suas questões existências ou conhece pessoas que enfrentam uma depressão profunda e almejam colocar um fim em suas vidas, criem grupos de debates em seus espaços sociais, seja na associação do bairro, escola, faculdade, em boa parte dos casos uma palavra, amiga, um abraço e o encaminhamento para uma consulta clínica, pode ser o começo da solução.

Se gostou do artigo compartilhe!

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *